A exigência do § Abs 5a. 3 Não.. 2 UWG, especificar a identidade e endereço do operador, Na entrada, o negócio operado por os endereços de ramificação não é suficiente.

A exigência do § Abs 5a. 3 Não.. 2 UWG, especificar a identidade e endereço do operador, Na entrada, o negócio operado por os endereços de ramificação não é suficiente. Nach § 5a Abs. 3 Não.. 2 UWG deve ser dada "a identidade eo endereço do negócio". Arte. 7 IV iluminado. b Directiva UCP fala do "endereço ea identidade do comerciante". Estas regras destinam-se a garantir, que o consumidor é a informação clara e inequívoca sobre o subjacente, mit wem er in geschäftlichen Kontakt tritt, sodass er ohne Schwierigkeiten und ohne weiteren Ermittlungsaufwand mit dem anbietenden Unternehmen Kontakt aufnehmen kann (vgl. OLG, WRP 2011, 1213, 1214, OLG Düsseldorf, Urt. em. 02.10.2012 – I-20 no 223/11 Tz. 23, LG Dortmund, Urt. em. 01.02.2012 – 10 O 92/11 confirmado por OLG Hamm, Urt. em. 30.10.2012 – I-4, em 61/12, Köhler / Bornkamm, a.a.O. § 5-Rn. 33). § 5a Abs. 3 Não.. 2 UWG generaliza a idéia básica, que o desempenho da concorrência pode não ser anônimo e não sem dar endereço específico (vgl. BT-pressão. 16/10145 S. 26). Formas especiais podem ser encontrados, por exemplo, a distância em § 312c. 1 BGB i. Em. m. Arte. 246 § 1 Abs. 1 Não.. 1 para 3 BGB (Piper / Ohly / Sosnitza, UWG, 5. Edição 2010, § 5-Rn. 27). A idéia é, que vai permitir que os consumidores não só a realização da compra destinada, mas que está a ser dada a ele a oportunidade, em caso de litígio, sem mais esforço de investigação seus adversários eo processo por localização, Correios e endereço viável, , opcionalmente, podem ser uma entrega da correspondência, fora (OLG Hamm, Urt. em. 30.10.2012 – I-4, em 61/12 Tz. 70,). Estas exigências não são cumpridas pelo réu é suficiente para dar os endereços de seus ramos nos folhetos publicitários disputadas. Pelo contrário, é – que o tribunal distrital foi contrário à opinião das partes, mesmo na hipótese de fatos corretos – necessário por força de lei, seu endereço negócios domésticos i. S. d. § 8 Abs. 4 Não.. 1 Especifique Sociedades Limitadas Lei, porque só assim as necessidades de informação do consumidor suficientemente em conta (vgl. OLG Brandenburg, Urt. em. 26.06.2012 – 6 O 72/12)

OLG Saarbrücken por 6.3.2013, 1 Você 41/12 – Informações corporativas em folhetos publicitários

A exigência do § Abs 5a. 3 Não.. 2 UWG, especificar a identidade e endereço do operador, Na entrada, o negócio operado por os endereços de ramificação não é suficiente.

Tenor

Eu. Recurso dos réus contra o 11.01.2012 anunciou, por deliberação do 24.02.2012 julgamento corrigido do Tribunal de Saarbruecken Distrito – 7 O 136/11 – é rejeitada.

II. O réu a pagar as despesas do presente recurso.

III. Este julgamento eo julgamento é provisoriamente executável sem segurança.

IV. A revisão não for aprovada.

Razões

A.

O autor é uma instituição de caridade, de suas atribuições legais para salvaguardar os interesses comerciais de seus membros, inclui, em particular o respeito que, que as regras de concorrência leal são respeitados.

O réu é proprietário de várias lojas de móveis no sudoeste da Alemanha. Em Junho de 2011 Eles fizeram campanha pelo folheto da cor (Primórdio K2, Bl. 18 ss.) especificando o endereço e número de telefone dos seus ramos para a gama de produtos oferecidos lá. Faltava a indicação do nome e endereço comercial do réu. Esta brochura foi acompanhada por um depositante (Primórdio K1, Bl. 11 ss.), foi anunciado na "Grande venda de Acção" para uma. Nos depositantes nem endereços de filiais foram, até mesmo o nome ou endereço comercial do réu nomeado.

Segundo a recorrente, isso constitui uma violação da concorrência. Pois, de acordo com o § § 3 Abs. 2, 5um Abs. 2, Abs. 3 Não.. 2 UWG exige que o réu, sua identidade e endereço – e não apenas a identidade eo endereço dos seus ramos – suficientemente especificar claramente a distribuição conjunta de brochuras.

Ele tem, portanto, o réu, por carta de 08.07.2011 (Bl. 31 f.) convidados a apresentar um imitador, mas este foi mal sucedida. Por carta de 11.08.2011 (Bl. 1 ss.) Ele ajuizou ação no Tribunal Distrital Saarbrücken. O réu opôs à aplicação (Bl. 61 ss.).

Pelo acórdão recorrido (Bl. 133a ff.), sobre as conclusões factuais e jurídicas em plena conformidade com § 540 Abs. 1 Sentença 1 Não.. 1 Código de referência Processo Civil, o tribunal de comarca condenou o arguido requerente, em conformidade com, abster-se, Para anunciar no comércio em relação ao consumidor final, sem especificar o endereço da empresa, quando isso acontece, como em comerciais no Anexo K1 e K2. Além disso, os réus foram qualquer aviso do autor, no montante de 166,60 Impostas euros, acrescido de juros.

Em apoio do tribunal distrital afirmou, em substância,: O réu é agir dentro § Abs 5a. 2 UWG injusta e, portanto, de acordo com o § 3 UWG anticompetitiva, porque a sua obrigação – aus § 5a Abs. 2, Abs. 3 Não.. 2 UWG seguinte – obrigação de informação essencial violado. Existe essa obrigação, porque o consumidor "essentialia negotii" serão anunciados na forma de o produto anunciado eo preço de venda com os folhetos de publicidade. A lesão reside no facto, que eles tinham falhado, especificar o seu endereço comercial no folheto de propaganda. Esta informação é necessária, porque o significado eo propósito da § Abs 5a. 3 Não.. 2 UWG, evitar, que o consumidor deve determinar a identidade exacta e endereço do seu contratante só em caso de uma disputa. Isto é, apesar da conhecida empresa nada "M.".

Sua nomeação (Bl. 163 ss.) prossecução do seu movimento para demitir, o réu ainda mais. O Tribunal Distrital considerou, no seu acórdão de uma fatos incorretos, por ausführe, o réu tinha os endereços de seus ramos não especificados nos prospectos. Além disso, o julgamento não pôde ser encontrado, que se referem a liminar o autor apenas isolado e sozinho em uma distribuição conjunta de brochuras e não na distribuição de folhetos. Também requer § 5a Abs. 3 Não.. 2 UWG não faz, especificar o local de estabelecimento de. Pelo contrário, ela deve – se apenas a possibilidade de serviço substituto, nos termos do § 178 Código de Processo Civil e do significado e propósito da § Abs 5a. 3 Não.. 2 UWG – bastar, se os endereços das lojas foram dadas. Para os demais argumentos apresentados pelo réu é referido os argumentos na primeira instância.

O réu afirma (GA 163, 283),

usando uma modificação do acórdão do Tribunal de Saarbruecken Distrito 11.01.2012 – 7 O 136/11 – negar provimento ao recurso.

A recorrente alega (GA 207, 284),

negou provimento ao recurso do réu.

Ele defende o acórdão revisão e consolidação dos seus argumentos anteriores. Seu recurso subordinado, apenas procura as razões para a correção do julgamento, ele retirou na audiência.

Devido à propriedade- ea disputa, aliás, é entre as partes para se preparar para a audiência de memorandos recurso com anexos, bem como as atas de reunião do 27.02.2013 (GA 283 f.) Referindo.

B.

O apelo dos réus está em conformidade com § § 511, 513, 517, 519 e 520 ZPO statthaft forma sowie- foi e tempestivamente entrou e justificado, portanto permitido.

No entanto, no caso de ele não ter sucesso, porque a decisão impugnada não se baseia em uma violação da lei de causalidade, na acepção do § 546 Código de Processo Civil, nem mandado sob § 529 Código de Processo Civil deve ser fatos baseados em uma decisão diferente (§ 513 ZPO).

Porque o tribunal distrital tem todo o direito a ele, que o autor de uma § § 8 Abs. 1, Abs. 3, 3, 5um Abs. 2, Abs. 3 Não.. 2 Intitulada UWG seguinte reclamação contra o réu, é dirigida à, abster-se, Para anunciar no comércio em relação ao consumidor final, sem especificar o endereço da empresa, quando isso acontece, como em comerciais no Anexo K1 e K2.

1. O direito do autor para fazer valer a alegação decorre § § 8 Abs. 3 Não.. 2 UWG, 2, 3 Abs. 1 Não.. 2 UKlaG (vgl. BGH GRUR 1998 502, 503 – Troca Direito I, BGH GRUR 2007, 809, 810 – Hospital Publicidade). Em contraste, o apelo também se lembra de nada.

2. O réu fez uma prática comercial desleal com o agressor publicidade do produto e, portanto, cometeu uma violação da concorrência, § 3 UWG.

um) A disputa folhetos (Sistemas de K1 e K2) atos comerciais são i. S. d. § 2 Abs. 1 Não.. 1 UWG, uma vez que eles são encaminhados para, para promover as vendas de produtos do réu (Köhler / Bornkamm, UWG, 31. Edição 2013, § 2 Rn. 15).

b) Nach § 5a Abs. 2 UWG é injusto, que influencia a capacidade de tomada de decisão dos consumidores,, que ele retém a informação essencial. Nach § 5a Abs. 3 Não.. 2 UWG, tipo. 7 Abs. 4 aceso. b da Directiva 2005/29 Práticas Comerciais Desleais CE (abaixo: UGP-RL) converte, essa informação é essencial para a identidade e endereço do operador, desde que seja na ação corporativa em questão para uma cotação, com base no qual um consumidor médio pode fechar o negócio, e desde que deu a identidade eo endereço não é aparente a partir do contexto. Os requisitos desta disposição informações resultantes violado o réu.

aa) § 5 º A da Abs. 3 Não.. 2 UWG seguinte obrigatória, educar o consumidor sobre a identidade e endereço do operador, formado de acordo com § Abs 5a. 3 UWG então, quando "bens ou serviços oferecidos Recordando as suas características e preço de uma forma adequada aos meios de comunicação utilizados para [vontade], que um consumidor médio pode fechar o negócio ". Obrigatório não é uma oferta vinculativa i. S. d. §§ 145 ff. BGB, outro ad referendum invitatio (Köhler / Bornkamm, a.a.O. § 5-Rn. 30um). Pelo contrário, é suficiente para interpretação directiva compatível com o padrão da espécie. 7 IV, 2 aceso. i UCP de, se a prática comercial em questão se destina a, que o consumidor seja devidamente informado do produto anunciado e seu preço, para ser capaz de tomar uma decisão de negócios (Eugh GRUR 2011, 930 Tz. 33 – Consumer Ombudsman / Ving Suécia, OLG, WRP 2011, 1213, 1214). Suficiente é uma referência para o item em palavra ou imagem (TJCE, a.a.O. Tz. 49, OLG Düsseldorf, Urt. em. 02.10.2012 – I-20 no 223/11 Tz. 22). Uma oportunidade a compra imediata, por outro lado não existe (EuGH a.a.O. Tz. 33, OLG Hamm, Urt. em. 30.10.2012 – I-4, em 61/12 Tz. 64, Köhler / Bornkamm, a.a.O. § 5-Rn. 30b).

Destas normas, o tribunal também é esperado. Foi encontrado um erro de direito, que nos folhetos de publicidade (Sistemas de K1 e K2) ambos os produtos anunciados, como será mostrado suficientemente clara e precisa o seu preço, de modo que o consumidor seja capaz, para ser capaz de fazer uma imagem informada dos produtos do réu e seu preço é facilmente e possivelmente tomar uma decisão de compra, este também pode ser negativo. Na possibilidade de adquirirem telefone, em que indica o tribunal distrital, é que até agora não, uma vez que já é suficiente, que o consumidor possa tomar uma decisão de negócios com base nos folhetos publicitários.

bb) Com essas ofertas devem, segundo § Abs 5a. 3 Não.. 2 UWG a identidade eo endereço do operador são dadas, desde que não resultem das circunstâncias. Este mandamento, o réu violou, uma vez que só atender às suas filiais, não o seu endereço comercial, conforme especificado nos folhetos publicitários disputadas.

(1) Nach § 5a Abs. 3 Não.. 2 UWG deve ser dada "a identidade eo endereço do negócio". Arte. 7 IV iluminado. b Directiva UCP fala do "endereço ea identidade do comerciante". Estas regras destinam-se a garantir, que o consumidor é a informação clara e inequívoca sobre o subjacente, mit wem er in geschäftlichen Kontakt tritt, sodass er ohne Schwierigkeiten und ohne weiteren Ermittlungsaufwand mit dem anbietenden Unternehmen Kontakt aufnehmen kann (vgl. OLG, WRP 2011, 1213, 1214, OLG Düsseldorf, Urt. em. 02.10.2012 – I-20 no 223/11 Tz. 23, LG Dortmund, Urt. em. 01.02.2012 – 10 O 92/11 confirmado por OLG Hamm, Urt. em. 30.10.2012 – I-4, em 61/12, Köhler / Bornkamm, a.a.O. § 5-Rn. 33). § 5a Abs. 3 Não.. 2 UWG generaliza a idéia básica, que o desempenho da concorrência pode não ser anônimo e não sem dar endereço específico (vgl. BT-pressão. 16/10145 S. 26). Formas especiais podem ser encontrados, por exemplo, a distância em § 312c. 1 BGB i. Em. m. Arte. 246 § 1 Abs. 1 Não.. 1 para 3 BGB (Piper / Ohly / Sosnitza, UWG, 5. Edição 2010, § 5-Rn. 27). A idéia é, que vai permitir que os consumidores não só a realização da compra destinada, mas que está a ser dada a ele a oportunidade, em caso de litígio, sem mais esforço de investigação seus adversários eo processo por localização, Correios e endereço viável, , opcionalmente, podem ser uma entrega da correspondência, fora (OLG Hamm, Urt. em. 30.10.2012 – I-4, em 61/12 Tz. 70,). Estas exigências não são cumpridas pelo réu é suficiente para dar os endereços de seus ramos nos folhetos publicitários disputadas. Pelo contrário, é – que o tribunal distrital foi contrário à opinião das partes, mesmo na hipótese de fatos corretos – necessário por força de lei, seu endereço negócios domésticos i. S. d. § 8 Abs. 4 Não.. 1 Especifique Sociedades Limitadas Lei, porque só assim as necessidades de informação do consumidor suficientemente em conta (vgl. OLG Brandenburg, Urt. em. 26.06.2012 – 6 O 72/12).

(2) Enquanto as chamadas § 5a Abs. 3 Não.. 2 UWG sua redacção, não uma "convocação" Address como BGB § 312c i. Em. m. Arte. 246 § 1 Abs. 1 Não.. 3 BGB. No entanto, é já, dass § 5a Abs. 3 Não.. 2 UWG lado ainda exige a especificação da "identidade" do empresário, que os detalhes do endereço ramo desencapado pode não ser suficiente. Porque – como a OLG Dusseldorf (Acórdão 02.10.2012 – I-20 no 223/11 Tz. 23) corretamente – um ramo já tem conceitualmente não "identidade", Pelo contrário, é a única entidade legal. Este não foi indicado nos folhetos publicitários disputadas.

(3) O argumento do recurso, uma indicação do ramo Endereço rico devido à possibilidade de um dado no local da ramificação, por exemplo, por meio de serviço substituo (§ 178 ZPO) de, o Senado não pode se juntar. Como o tribunal distrital diz com razão, o consumidor não pode ser referenciado. Para efeito do § Abs 5a. 3 Não.. 2 UWG não está, para informar o consumidor sobre a localização da tomada de conhecimento – aqui sobre o empresário já informou o interesse em seu próprio parágrafo -, mas para transmitir informações básicas sobre os seus parceiros contratuais, permitindo-, este identificar. Ocorre que não é apenas com as próprias lojas, mas com o apoio certo para contato comercial. Uma interpretação contrária do § Abs 5a. 3 Não.. 2 UWG, o que pode ser suficiente para especificar o endereço de ramo, é contrário ao objetivo declarado da UCP, contribuir para a realização de um elevado nível de protecção dos consumidores (Arte. 1 UGP-RL), e deve, portanto, ser rejeitada.

(4) O fracasso é, portanto, também a objeção do réu, depender de uma decisão do Tribunal Potsdam (LG Potsdam, Accel. em. 15.02.2012 – 52 O 15/12) cita, a possibilidade de uma ação legal no local do ramo (§ 21 ZPO) falando sobre isso, suficiente para permitir a especificação do endereço de ramo. Tal como o Brandenburg Tribunal Superior Regional em sua decisão, com o qual anulou a decisão do Tribunal Potsdam (OLG Brandenburg, Urt. em. 12.04.2012 – 6 O 72/12), observou corretamente, § justificado 21 Código de Processo Civil só a jurisdição, ações pode ser interposto contra o réu no, não regular, desse serviço e encargos podem ser feitas para o réu sob este endereço postal. A este respeito, § 21 ZPO, o consumidor simplesmente uma forma adicional, intentar uma acção na loja. Em contrapartida, os direitos do consumidor, Réu pode, opcionalmente, aproveitar, suficientemente assegurada apenas especificando o seu nome exato ea sua sede.

(5) Ao contrário do que o réu não forneceu as informações diretamente das circunstâncias. Em particular, a especificação é um nome comercial conhecido nacionalmente – aqui M. – não satisfatório, uma vez que o nome do grupo não é adequada como tal, para indicar a identidade da respectiva controlada operada ramo.

cc) Como o tribunal distrital afirmou corretamente, decorre da violação de um dever essencial de informar de acordo com o § Abs 5a. 3 Não.. 2 UWG a relevância comercial do delito (BGH GRUR 2010, 852 Tz. 21 – Gallardo Spyder, BGH GRUR 2010, 1142 Tz. 24 – Tamborete de madeira). Um resultado diferente não surge – como diz o apelo – da decisão do Tribunal de 15.03.2012 – C-453/10 (Eugh GRUR 2012, 639 – Pereničová em. Perenič / SOS). Porque esta decisão foi para classificar. 6 Abs. 1 UGP-RL, a união da base jurídica do § 5 Abs. 1 UWG é, e não muito gentil. 7 IV UGP-RL, pelo legislador alemão no § Abs 5a. 3 UWG foi implementado.

3. Necessário para o risco de repetição liminar é indicado pela primeira subida. Em particular, o réu se recusou, a emitir uma declaração cláusula penal, que teria conduzido à eliminação do risco de repetição (vgl. BGH GRUR 1996, 290 – Eliminando o risco de repetição I).

4. Preocupações não ficar contra a determinação do pedido de medida cautelar. De acordo com a parte dispositiva da decisão impugnada, o réu é condenado, abster-se, Para anunciar no comércio em relação ao consumidor final, sem especificar o endereço da empresa, quando isso acontece, como em comerciais no Anexo K1 e K2 sistema. , Referindo-se as duas plantas, que foram distribuídos juntamente com os fatos incontestáveis, o sistema K1 foi anexado ao real cor prospecto K2 como depositantes, resultados já, é tudo sobre a distribuição conjunta dos dois folhetos condicionado sistema K1 e K2 de acordo com o teor do julgamento.

Os custos decorre § § 97 Abs. 1, 516 Abs. 2, 92 Abs. 2 Não.. 1 ZPO, porque o-appeal remidos não providenciou custos especiais. A decisão sobre a executoriedade provisória é baseado no § § 708 Não.. 10, 713 ZPO, 26 Não.. 8 EGZPO.

A revisão foi não permitir que, porque ela não tem as condições necessárias (§§ 542 Abs. 1, 543 Abs. 1 Seção 1 Eu. Em. m. Abs. 2 Sentença 1 ZPO).

Bitte bewerten

Para mais informações: