Será que o agente violou uma não concorrência, pode fornecer ao empresário o direito de o direito de acesso à proibição inconstitucional para os concorrentes transações mediadas

Tem o agente de um comercial durante a vigência do contrato de agência existente Cláusula de concorrência feridos, pode fornecer o empresário a preparar o pedido de indemnização por perdas de lucros, uma reclamação ao abrigo § 242 BGB direito a representante de vendas para obter informações sobre a proibição inconstitucional para os concorrentes transações mediadas, desde a proibição inconstitucional para os concorrentes mediadas volume de negócios como a base de uma avaliação de danos de acordo com o § 287 Código de Processo Civil pode servir (Após BGH, Acórdão 3. Abril 1996 – VIII ZR 3/95, NJW 1996, 2097, 2098).

O empregador, neste caso, não tem direito a nomear nomes e endereços dos segurados, nem mesmo com a limitação de auditores de título, que os contratos de seguros com as empresas concorrentes foram dadas a proibição inconstitucional.

Informações podem ser obtidas sobre esses contratos de seguro, referidas pela equipe de campo, que o agente não está inscrito na empresa rival, mas cuidado.

BGH ACÓRDÃO VII ZR 227/12 de 26. Setembro 2013

HGB § 86; BGB § 242 A

BGH, Acórdão 26. Setembro 2013 – VII ZR 227/12 – OLG Oldenburg

LG Osnabrück – 2 -

Há VII. Divisão Civil do Tribunal Federal da audição 26. Setembro 2013 pelo juiz Prof. Dr.. Kniffka e os juízes Dr.. Eick, Kosziol, Dr.. Kartzke e Prof. Dr.. Jurgeleit

por este meio:

Em sede de recurso pelo requerente, rejeitando a nova revisão tergehenden o julgamento do 13. Divisão Civil do Superior Tribunal Regional de Oldenburg 24. Julho 2012 na redacção dada pela correção-mento da Decisão 8. Outubro 2012 o ponto de custo e sob nenhuma. 4 o tenor parcialmente revogada e os seguintes recém-somas:

4. O réu é condenado, o candidato na primeira etapa, as informações sobre o no período de 1. Setembro 2010 até 2. Setembro 2011 por ele e / ou por ele como gerente de vendas da C. Seguro associado com o pessoal de campo para o C. As companhias de seguros e / ou seus parceiros intermediado contratos de seguro dos campos Sach-/Haftpflicht, Motor, Legal, Un-queda, Vida, Para conceder doente e Building Societies, , juntamente com uma indicação da divisão, Preços de, a data de aplicação e contrato conclusão, de Netto- ea contribuição bruta, a forma de pagamento ea soma valorização. O novo pedido de informações é rejeitado.

A decisão sobre os custos de Primeira Instância continua a ser o julgamento final reservados.

Das despesas do processo de recurso, o requerente usar 8/45 eo réu 37/45.

O réu é, após o apelo do julgamento do 13. Divisão Civil do Tribunal Regional Superior de Oldenburg de – 3 -

24. Julho 2012 na redacção dada pela decisão de alteração de 8. Outubro 2012 retirou, explica este apelo perdido.

A partir do custo do processo de revisão, o requerente usar 1/3 eo réu 2/3.

O valor em discussão para o processo de auditoria é de até onsrücknahme revisão 4.000 € (Auditoria der Klägerin: 2.000 €; Revisão des Beklagten: 2.000 €) e para o período subsequente 2.000 €.

Por direitos

Fatos:

O requerente envolvidos na intermediação de produtos financeiros. Ela celebrou com a demandada em 2007 um Handelsvertretervertrag. Em 30. Abril 2009 satisfeitas as partes um acordo adicional, após a relação contratual com a maior brevidade 31. Dezembro 2012 poderia ser rescindido; o direito de rescindir por justa causa não devem ser prejudicadas. Por carta de 29. Abril 2010 anunciou o réu, que havia atingido o estágio da carreira de um líder de equipe no candidato do, o contrato no 31. Julho 2010. Uma vez que o 1. Setembro 2010 ele é um gerente de vendas da C. Ato Seguro. O requerente solicitou uma declaração de que, que a relação contratual da rescisão do réu não 31. Julho 2010 foi completada. Ele também cuida do réu, contando com a selecioná-lo-

1 – 4 -

rend der Laufzeit des Handelsvertretervertrags obliegende Cláusula de concorrência auf Unterlassung und im Wege der Stufenklage auf Schadensersatz in An-spruch. O requerente solicitou, em primeira instância, entre outros,,

1. determinar, que a maioria 29. Agosto 2007 relacionamento agente comercial razoável das partes é de avisos de rescisão pela declaração do réu 29. Abril 2010 a 31. Julho 2010 endet trabalho ser ist, , mas até ao 31. Dezembro 2012 persiste é;

...

4. ordenar a ré em ação por etapas na primeira etapa, as informações sobre o candidato dele ou a si mesmos e / ou sobre o qual ele é o gerente de vendas da C. Apólice de seguro atribuído ao pessoal de campo no período de 1. Setembro 2010 até o momento da fase oral do processo competitivo no C. As companhias de seguros e / ou seus parceiros intermediado produtos de seguros dos campos Sach-/Haftpflicht, Motor, Legal, Acidente, Vida, Para proporcionar negócios relacionados com doentes e Building Societies, em particular, indicando o nome e endereço do cliente, Dezembro de circuito produtos de consumo, a divisão, Preços de, des Antrags- e do contrato, data, de Netto- eo prêmio bruto, a forma de pagamento ea soma valorização, as informações também um a ser nomeado pelo requerente, ao sigilo comprometem ª, Auditores juramentadas pode ser concedida, se o réu autorizou que, comunicar os resultados de suas conclusões ao requerente.

O tribunal distrital julgou procedente o pedido, em parte,. Constatou-se, entre outras coisas, que a maioria 29. Agosto 2007 estabelecemos relações de representação comercial as partes no aviso de rescisão do réu de 29. Abril 2010 não 31. Julho 2010 foi completada. Ele também condenou o réu em uma ação por etapas,

na primeira fase de informações sobre o candidato durante o período da sua 1. Setembro 2010 até 2. Setembro 2011 para apostas-

2 – 5 -

tores mediada contratos de seguro dos campos Sach-/Haftpflicht, Motor, Legal, Acidente, Vida, Para proporcionar negócios relacionados com doentes e Building Societies, ou seja, em que cita o contrato específico, a divisão, Preços de, a data da apresentação do pedido e da celebração do contrato, de Netto- ea contribuição bruta, a forma de pagamento ea soma valorização.

Contra este julgamento ambas as partes apelaram. A vocação do réu não for bem sucedida. Em sede de recurso pelo requerente, o Tribunal de Apelações modificou a decisão do tribunal distrital em parte e, até agora para o tribunal de apelação ainda de importância, decidiu o seguinte:

1. Verificou-se, que a maioria 29. Agosto 2007 estabelecida relação de representação comercial entre as partes, conforme alterada pelo acordo agente comercial datado 10./18. Agosto 2008, complementado pelo Acordo Complementar de 30. Abril 2009, até 31. Dezembro 2012 fixa e completado por rescisão pelo réu 29. Abril 2010 não foi concluído.

...

4. O réu é condenado, o candidato na primeira etapa, as informações sobre o no período de 1. Setembro 2010 até 2. Setembro 2011 por ele e / ou funcionários de vendas de campo, pelo requerido, gerente de vendas da C. Versicherung foram anunciados e que estão dispostos a ele nesta propriedade, para C. As companhias de seguros e / ou seus parceiros intermediado contratos de seguro dos campos Sach-/Haftpflicht, Motor, Legal, Acidente, Vida, Para conceder doente e Building Societies, , juntamente com uma indicação da divisão, Preços de, a data de aplicação e contrato conclusão, de Netto- ea contribuição bruta, a forma de pagamento ea soma valorização. A aplicação de informação mais completo não podem ser rejeitados.

O Tribunal de Recurso aprovou a revisão, foi assim longe decidiu in-formação sobre o desafio. Na fundamentação do seu acórdão, declarou, a revisão é por causa da importância fundamental da questão

3

4 – 6 -

permitir o alcance da obrigação de divulgação de um agente de seguros com o empresário em uma violação da concorrência. Com a revisão, o requerente está a seguir o seu pedido de informações, na medida em que esta não tenha sido concedida, ainda a um grau limitado. Esforça-se, condenar a demandada,

um) Para dar informações também sobre o negócio, deram ao pessoal de campo não recém-contratado pelo réu de sua organização,

b) no contexto da informação – com exceção dos contratos de seguros nas áreas de saúde, Acidente- para dar e contrato de seguro de vida sob a menção especificamente mediado do nome e endereço do tomador,

a informação para uma) und b) também um a ser nomeado pelo requerente, jurar segredo, Auditores juramentadas pode ser concedida, se o réu autorizou que, Mitzu-compartilhar os resultados de suas conclusões ao requerente.

A recorrida sustenta, Negado provimento ao recurso do requerente.

O réu entrou com um recurso contra a recusa do recurso no Tribunal da Relação de decisão e revisão. O Senado rejeitou a licença-se ao apelo. A sua revisão tem o réu retirado antes da audiência.

5

6

- 7 –

Razões:

A revisão do sucesso requerente, na medida em que busca informações também sobre o negócio, que não são recém-contratado pelo réu, ter dado a ele atribuído, mas o pessoal de campo. No entanto, a revisão não terá êxito, medida em que a recorrente pretende obter informações sobre os nomes e endereços dos segurados.

Eu.

O Tribunal de Recurso, cujo julgamento em SEU 2013, 79 é publicado, tem, a extensão do processo de revisão de interesse, essencialmente executado, Acordo Adicional de 30. Abril 2009 ser eficazes, por que o relacionamento representante de vendas não é o resultado da rescisão do réu 29. Abril 2010 foi encerrado.

Contra a primeira instância condenando a demandada a fornecer informações levantar objecções específicas.

O candidato a esse respeito é dar legal, quando a informação réu também deve no negócio, os representantes do comércio já cercado pelo réu angewor-C. Seguro tinha sido ensinado. Tivesse o réu agido de acordo com o contrato contínuo com o requerente, teria que anunciar o novo representante de vendas para este e os agentes comerciais daria ao requerente. No que diz respeito ao requerente quaisquer lucros cessantes do réu era responsável pelo pagamento de danos. O mesmo não acontece com o negócio, a outra (não recém-contratado pelo réu) O pessoal de campo “sua” Organização daria. Estes representantes de vendas também foram sem a assistência do réu para o C. Versos-

7

8

9

10 – 8 -

tornar-se o seguro de ativos, como o réu justamente einwende. Quanto ao pedido de informações deve ser demitido.

O direito à informação, é o que diz o Tribunal de Recurso, não se estende à divulgação de nomes e endereços dos clientes. Esses detalhes não são necessários para o cálculo da perda do requerente de lucro em função da proibição negócio mediado inconstitucional. , Exigindo apenas os dados abstratos referidos na fórmula julgamento para os respectivos contratos. A divulgação adicional dos nomes e endereços dos clientes traria ao requerente um ganho de informação a melhor até agora, como seriam por verificar a exatidão das informações prestadas na situação. Este propósito não serve a informação, mas. Porque onde não há dúvida sobre, se a in-formação tinha sido emitida com o cuidado necessário, poderia o requerente requerer o réu, a exatidão e integridade sob pena de perjúrio para ser segurado-Chern. Por outro lado, existe na parte da empresa concorrente, der C. Seguro, um interesse, que os dados dos seus clientes recrutados para o requerente não seria conhecido. Isto teve o interesse da C. Apólice de seguro como um ator gerente de vendas réu, , tanto quanto possível, para manter. No que diz respeito à saúde, Acidente- ou seguro de vida, em seguida, contrato, que o réu pela transferência de dados do contrato não-anônimos de acordo com o § 203 Abs. 1 Não.. 6 Código Penal seria culpável, a partir de referências citadas pelo julgamento do réu Bundesgerichtshof 10. Fevereiro 2010 – VIII ZR 53/09, NJW 2010, 2509 resultando.

11 – 9 -

II.

Isso mantém a análise jurídica não foi totalmente.

1. Erroneamente, o Tribunal de Apelações negou o direito de acesso a tais transações, o réu no C. Seguro associado, mas não têm ensinado por ele recentemente recrutado pessoal de campo.

um) De acordo com a jurisprudência do Tribunal Federal que impõem boa fé, admitir o requerente o direito à informação, se a relação jurídica existente entre as partes trazê-lo com você, que o reclamante está na forma desculpável sobre a existência ou a extensão do seu direito no escuro e se o devedor é capaz, fácil de reconhecer o subsídio para a eliminação destes Un-certeza informações necessárias (vgl. BGH, Acórdão 6. Feve-ar 2007 – X ZR 117/04, NJW 2007, 1806 Rn. 13 m.w.N. – Acordo MFN). A do § 242 BGB derivada pago para ter acesso à preparação de uma obrigação contratual por danos requer, suspeita de que pelo menos razoável Vertragspflichtverlet-ção existe e que a perda resultante do requerente é provável (vgl. BGH, Acórdão 1. Agosto 2013 – VII ZR 268/11, juris Rn. 20; Decisão do 11. Fevereiro 2008 – II ZR 277/06, BeckRS 2008, 04552 Rn. 7).

Verletzt ein Handelsvertreter während der Laufzeit des Handelsvertreter-vertrags ein Cláusula de concorrência, ele faz regularmente em indenização por dano-sujeito; ele deve o contratante substituir os lucros, esta está protegida pela atividade ilegal proibição ao agente comercial (vgl. BGH, Acórdão 3. Abril 1996 – VIII ZR 3/95, NJW 1996, 2097, 2098; Acórdão

12

13

14

15 – 10 -

24. Junho 2009 – VIII ZR 332/07, NJW-RR 2009, 1404 Rn. 14; Acórdão 21. Março 2013 – VII ZR 224/12, NJW 2013, 2111 Rn. 26). Se o agente comercial proibiu negócio facilitado inconstitucional para os concorrentes, pode fornecer o empresário a preparar o pedido de indemnização por perdas de lucros, uma reclamação ao abrigo § 242 BGB direito ao representante de vendas em informações da proibição inconstitucional para os concorrentes transações mediadas, desde a proibição inconstitucional para os concorrentes mediadas volume de negócios como a base de uma estimativa dos danos de acordo com o § 287 Código de Processo Civil pode servir (vgl. BGH, Acórdão 3. Abril 1996 – VIII ZR 3/95, NJW 1996, 2097, 2098; Acórdão 23. Janeiro 1964 – VII ZR 133/62, NJW 1964, 817; Baumbach / Hopt, HGB, 35. Ed, § 86 Rn. 32). Um direito à informação, é permitir que o credor em posição, demonstrar o necessário para uma evidência estimativa danos de lucros cessantes, não pode ser negado na exposição de motivos, em princípio,, é improvável, que o credor pode argumentar perdidos operações de venda de concreto, com o auxílio dos dados obtidos (vgl. BGH, Acórdão 6. Fevereiro 2007 – X ZR 117/04, NJW 2007, 1806 Rn. 15).

b) Tendo em conta estes princípios, o direito à informação sobre o negócio pode, o réu no C. Seguro associado, mas não têm ensinado por ele recentemente recrutado pessoal de campo, não ser negada em razão proferidas pelo Tribunal de Recurso, ela não tem a relação causal com a violação de não concorrência. Porque é possível, que a atividade do réu como um gerente de vendas da C. Seguros, pelo menos para uma parte dos Ge-schäftsvermittlungsvolumens em guiadas pelo réu, mas não o seu pessoal de campo recém-recrutado, sobre aumentando esse volume, era a causa. Além disso, uma perda de lucro para o requerente de tal maneira é possível, que o réu em uma ação para o requerente-

16 – 11 -

baixo tinha tomado no período em questão como um líder de equipe de uma forma correspondente ao volume de negócios de influência intermediário, de que o requerente teria beneficiado. A informação anterior pode ser utilizada como a base de uma estimativa da requerente, na medida lucros perdidos servir. Dem Um-stand, que a atividade do réu no C. Seguro só por uma fração do volume de negócios na mediação o réu guiada, mas não foi a causa de seu pessoal de campo recém-recrutado, pode, se necessário, na avaliação de danos de acordo com o § 287 ZPO ser tidas em conta.

c) O réu foi, portanto, para condenar a informação procurada. O Senado pode decidir, porque outras matérias não são de esperar. O banco apresentou, quer no tribunal de recurso, nem em razões os fatos cheninstanzen, o que justificaria, para negar a formação in-exigente em termos de interesse em sigilo. O réu não levantou qualquer objecção pelos resultados indiscutíveis da Corte de Apelação contra a condenação em primeira instância para fornecer informações. Infundada também na audiência, ele cobrado objeção-, o pedido era demasiado vago. O dado sentença para a comunicação de informação fornece uma base razoável para uma possível aplicação.

2. Sem sucesso, a revisão aplica-se, no entanto,, que o Tribunal de Recurso a alegação do requerente indicando o nome e endereço do segurado com relação ao exterior das áreas de saúde, Un-queda- e seguro de vida negou contratos de seguro intermediado.

um) Com a possível concessão de um direito de acesso nos termos do § 242 Conta especial BGB é tomada de forma adequada os interesses mútuos

17

18

19 – 12 -

(vgl. BGH, Acórdão 17. Mais 2001 – I ZR 291/98, BGHZ 148, 26, 32 – A remoção do número de série II). A obrigação de informação depende do tipo e abrangência na aplicação dos princípios do § 242 BGB às necessidades do credor sob consideração suave para os interesses do devedor (vgl. BGH, Acórdão 19. Março 1987 – I ZR 98/85, NJW-RR 1987, 1521 – Os projectos de cartas). Em particular, deve ser, se o devedor faz um interesse confidencialidade em relação às reivindicações de informação requerida e se esse interesse é digno de protecção (vgl. BGH, Acórdão 6. Fevereiro 2007 – X ZR 117/04, NJW 2007, 1806 Rn. 18). Os interesses de informação dos credores e um bigers sobre as reivindicações feitas legítimo Geheimhaltungsinte-ress do devedor, se necessário ponderar (vgl. BGH, Acórdão 11. Abril 1989 – X ZR 26/87, BGHZ 107, 161, 167 – Máquina de fiação Open-end).

b) Tendo em conta estes princípios, não é para objeção à, que o Tribunal de Recurso também tem direito a uma menção do nome e endereço do segurado com relação ao exterior das áreas de saúde, Acidente- e seguro de vida negou acordos mediados. A resultados de pesagem, que as desvantagens de tal referência, para o réu superam seus benefícios para o requerente.

Para preparar o pedido de indemnização para o lucro razoável entgange-candidato, o nome e endereço do segurado não são directamente necessária. Esta informação irá permitir-se não estimar a perda de lucro em um contrato base agência. A alegada pela auditoria interesse do requerente, para verificar a veracidade das informações prestadas pelo réu, não justifica a extensão da informação do nome e endereço do segurado em caso de litígio. Basicamente, o direito de informação pode, no entanto, também de ordem-

20

21 – 13 -

estender distâncias, permitir que o credor para verificar a exatidão e integridade de informações (vgl. BGH, Acórdão 7. Dezembro 1979 – I ZR 157/77, Trigo 1980, 227, 233 – Alemanha-Monumenta Historica; vgl. também BGH, Acórdão 17. Mais 2001 – I ZR 291/98, BGHZ 148, 26, 37 – A remoção do número de série II). Em caso de disputa, no entanto, supera o interesse legítimo na confidencialidade do interesse Informationsinte do candidato com a menção dos nomes e endereços dos segurados. Deve-se notar, que essa nomenclatura não é adequado, para comprovar a abrangência da resposta do réu recebidos em contratos arranjados de forma confiável, não está claro a partir da nomeação de nomes e endereços dos segurados ª, se novos contratos foram mediados. Em favor do réu deve ser considerado como sobrepeso, que é a informação sobre o nome e endereço do segurado, competição especial sensível e que também são baseados em pessoas singulares, sua autodeterminação informativa seriam afetados por tais informações. Aplica-se o Tribunal de Recurso resultou de-, que por parte da empresa concorrente, der C. Seguro, um interesse, que os nomes e endereços dos clientes que eles recrutados para o requerente não são conhecidos, e que o réu como um gerente de vendas, este interesse, , tanto quanto possível, tem de ser verdade.

O mesmo se aplica aos nomes e endereços das empresas parceiras da C. Segurados recrutados. Pode ser deixada, se os interesses de confidencialidade do réu, sem prejuízo do seu direito à autodeterminação informado matio cional ou menos não seria digno de protecção para os nomes e endereços dos segurados, quando a relação C. Seguro ou suas afiliadas têm participado intencionalmente em violação da noncompete. O Tribunal de Recurso não tem encontrado o tipo. As provas não são de outra maneira ersicht-

22 – 14 -

Lich. Concede Revisão, que as partes de um autor indireto do C. Já não detinha alegações referentes à violação de não concorrência no seguro casos fato. Dado o valor limitado ser-, para ter uma referência para os nomes e endereços dos segurados relevantes perdeu para a estimativa da renda do requerente, também não é para conceder o pedido de informações discutidas acima, com imagens gravadas pela recorrente na sua petição de um auditor restrição de título.

c) Finalmente, o mais para a frente pela revisão no interesse dos candidatos justifica, Para obter insights sobre, se os funcionários da C. Seguro, que o réu ou resultou, Os clientes atraídos ha-ben, que a recorrente tinha originalmente intermediado contratos de seguro, o direito de não mencionar os nomes e endereços dos participantes seguros. O apelo a esse respeito, que os danos recorrente alega que diz respeito à comissão de acompanhamento (Taxas de reboque, a seguradora) teria direito, se supervisionado do réu ao requerente anteriormente sobre suas sub-agentes subordinados no cliente C. Apólice de seguro haviam sido transferidos. Este é um novo, mencionado pela primeira vez no cálculo danos instância de recurso com base em uma nova argumentos fato ". Tais argumentos podem, além de exceções não é relevante aqui, não serão considerados no processo de revisão (§ 559 Abs. 1 ZPO; vgl. BGH, Decisão do 28. Mais 2013 – II ZR 207/12, juris Rn. 13 m.w.N.). A revisão não aponta para, que o requerente teria feito nos fatos cheninstanzen algumas informações para preparar um pedido de indemnização por alegados prejuízos, aqueles, que é causada pela perda de visão devido a caçar Folgepro.

23 – 15 -

d) Quanto ao acórdão do Tribunal Federal 3. Abril 1996 – VIII ZR 3/95, NJW 1996, 2097 sobre a nomeação de nomes de clientes quando reivindicação do contratante para obter as informações necessárias para a elaboração de um direito a uma indemnização por lucros cessantes nada de diferente poderia ser tomada, detém o Senado, que agora é responsável pelas relações contratuais de Representantes, Se não fosse.

III.

As decisões de custos com base no § 97 Abs. 1, § 92 Abs. 1, § 565, § 516 Abs. 3 ZPO.

Kniffka Eick Kosziol

JURGELEIT Kartzke

Bitte bewerten

Para mais informações: