“Durchgeknallte” Político não pode ser coberto pela liberdade de expressão, se a descrição como "mulher frustrierteste", que já não sabe "o que é o que. Amor, Saudade, Orgasmo, Feminismo, Feito razão "e sua designação como, nesse sentido," louco "

Im Zuge der Abwägung der Meinungsfreiheit gegenüber dem Persönlichkeitsrecht ist zu berücksichtigen, que este caso envolveu um como um texto escrito a violação deliberada e destinados, não é a expressão de uma expressão espontânea no contexto de um confronto emocional, como era no caso decidido pelo Tribunal Constitucional Federal caso "promotor enlouquecido" do caso (Tribunal Constitucional, Resolução do 1. Câmara do Primeiro Senado de 12. Mais 2009 – 1 BvR 2272/04 -, NJW 2009, S. 3016), onde não há também uma condenação penal e – aqui – fui a uma cautelar civis. Além disso, há ainda o réu está em liberdade, se – também apontou e polêmico – para comentar sobre a conduta do queixoso. A cruz no desprezo do queixoso genital área pela descrição como "mulher frustrierteste", que já não sabe "o que é o que. Amor, Saudade, Orgasmo, Feminismo, Razão "e sua designação como neste sentido," louco "não é contrastam mais com a proteção do direito de personalidade geral do compatível reclamando.

Tribunal Constitucional Federal

– 1 BvR 194/13 –

Em nome do povo

No processo sobre a reclamação constitucional

que Frau Dr.. P ...

– Representante:
para o julgamento final do Tribunal Regional Superior de Munique a partir de 23. Outubro 2012 – 18 Você 2334/12 Pré –

 

tem 3. Câmara do Primeiro Senado do Tribunal Constitucional Federal pelo adro vice-presidente, o juiz Masing e Juiz Baer em 11. Dezembro 2013 por unanimidade:

A sentença definitiva do Tribunal Regional Superior de Munique a partir de 23. Outubro 2012 – 18 Você 2334/12 Pré – violou o direito fundamental do reclamante nos termos do artigo 2 Parágrafo 1 conjugado com o artigo 1 Parágrafo 1 º da Lei Básica, na medida em que o Tribunal Regional Superior rejeitou a recorrente que impõem a enunciação, o queixoso era uma "louca", abwies.

A decisão deve ser liberado. O assunto está detido para o Tribunal de Recurso.

Além disso, a reclamação constitucional não é aceito para decisão.

O Estado Livre da Baviera reembolsar o queixoso um terço de suas despesas necessárias.

O valor do objeto de trabalho legal para o procedimento de reclamação constitucional é 25.000 € (na Worten: 25.000 €) fixo.

Razões:

Eu.
1

A queixa constitucional é dirigido contra um julgamento em segunda instância, que o queixoso não um pedido de injunção certas declarações. O queixoso alega uma violação dos seus direitos pessoais em geral (Arte. 2 Abs. 1 em conjunto com o artigo. 1 Abs. 1 GG).

2

1. O autor da denúncia é um ex-administrador do distrito de F. e foi até Setembro 2013 Membro da Baviera Landtag. Em 2006 ela exigiu a renúncia do ex-primeiro-ministro da Baviera, Edmund Stoiber. Final 2006 eles posaram para a empresa revista "P. A. ", a galeria de imagens em sua edição 1/2007 publicado. Isso levou a B. Ltd. & Co. KG, o réu no processo principal, aquando, sob o seu título "Mensagem por ..." no "www site. ... "No 3. Abril 2007 para publicar o seguinte texto:

3

Mensagem von ...

Amor látex Landrätin,

im goldenen Minikleid (sem calcinha, porque ele empurra através unphotogenic) "Você enterrou sua carreira na P. A. ", escreveu o .... Em seis páginas duplas da revista "P. A. "Você pode estar em Domina Poznan – com luvas de látex e as pernas abertas – fotografia. As fotos são pornografia clássico. Der Voyeur lebt pornografische in der Qual, Você arrancar suas roupas. Nenhuma foto provoca em mim o impulso de, Você ou a amar. sussurrar palavras ternas com você. Nenhum homem ama uma mulher em um filme pornô.

Em todas estas fotos são atraídos, nada nua. Você é a mulher no meio. Por que não fazer o? Por que não está bravo para o seu Stoiber Triumph, mãe solteira permaneceu? Por que você tem sua foto como?

Eu vou te dizer: Eles são a mulher frustrierteste, Eu sei. Seus hormônios são tão confuso, que você não sabe mais, o que é o. Amor, Saudade, Orgasmo, Feminismo, Razão.

Você é uma mulher louca, Mas não culpo a sua condição em nós, homens,.

Sinceramente

Ihr F.J. O.

4

O queixoso alegava, desta publicação até à queda 2011 Para se conscientizaram. Ela afirma ainda, as imagens estão no P. A. não foi lançado, desta forma. Ela olha em sua personalidade geral direito violado e da recorrida,

5

dizer que se abstenha de, distribuir e / ou ter espalhado

um) Frau Dr.. P. é uma mulher louca,

b) fotos de Dr.. P., no P. A. têm aparecido, são pornografia clássico,

c) em conexão com as fotos do Dr.. P., no P. A. têm aparecido, von "Domina Posen", Para falar "um filme porn" e "pornografia".

6

Além disso, eles procuraram uma compensação monetária adequada, no valor de, pelo menos, 5.000 €.

7

2. O Tribunal Distrital de T. ordenou que o réu não angegriffenem julgamento de medida cautelar procurado, mas negou que a compensação monetária a partir de.

8

3. O julgamento ambas as partes apelaram. Com angegriffenem acórdão, o Tribunal de Recurso negou provimento ao recurso do recorrente e mudou a decisão do tribunal distrital em recurso pelo réu para o efeito de, que negou provimento ao recurso como um todo. Ele ordenou que as três afirmações controversas como um juízo de valor, deixando superam a liberdade do réu na balança.

9

4. Na sua queixa constitucional, o queixoso alega violação dos seus direitos pessoais em geral. O contribution'll perder qualquer discussão objetiva. Ao contrário, ele desenhar é caracterizada, que ele atacar o queixoso em um nível muito particular com referência a seus pensamentos e sua vida emocional e reduzir digno.

10

5. O réu no processo principal não respondeu à reclamação constitucional. O governo do estado da Baviera absteve-se de uma opinião. Os documentos do processo foram submetidos ao Tribunal Constitucional Federal.

II.
11

A queixa constitucional está de acordo com § 93 º Abs. 2 Carta parcialmente aceito b BVerfGG para decisão, porque esta é adequada para fazer cumprir os direitos fundamentais do recorrente. As condições para a finalidade de permitir decisão do recurso são (§ 93c Abs. 1 Sentença 1 em conjunto com o § 93a Abs. 2 Carta b BVerfGG).

12

A queixa constitucional admissível na acepção do § 93c Abs. 1 Sentença 1 BVerfGG parte, justificado claramente. A decisão impugnada viola o direito geral de forma do queixoso. 2 Abs. 1 em conjunto com o artigo. 1 Abs. 1 GG, na medida em que acendeu a enunciação. uma autorização, o queixoso era uma "louca".

13

1. A decisão afeta o alcance do direito de personalidade geral da queixa.

14

Das na Arte. 2 Abs. 1 em conjunto com o artigo. 1 Abs. 1 GG ancorado direito geral de personalidade complementa o normalizado nas liberdades Lei Básica e garante a esfera pessoal mais perto da vida e da preservação de suas condições básicas (vgl. BVerfGE 54, 148 <153>). Isto inclui proteção contra declarações, adequado, ser prejudicial para a reputação da pessoa, em particular a sua imagem pública, impactando (vgl. BVerfGE 114, 339 <346> m.w.N.).

15

As declarações incriminatórias iluminados. um – C são adequados, reduzir a posição social e política do queixoso, em si acaba como o Tribunal de Recurso aplicável.

16

2. O acórdão do Tribunal Regional Superior do direito geral de o queixoso é parcialmente ferido. Quanto ao Tribunal de Recurso acendeu a enunciação. um, o queixoso era uma "louca", não contestado, se não considera isso mais nos tribunais inferiores quadro de avaliação.

17

um) O direito geral de personalidade não é incondicional. Ele toma o seu lugar de acordo com o tipo. 2 Abs. 1 GG na ordem constitucional, incluindo os direitos de terceiros. Estes direitos incluem a liberdade de expressão nos termos do artigo. 5 Abs. 1 Sentença 1 GG.

18

Mas a liberdade de expressão não é garantida, sem reserva, mas encontra-se em conformidade com o artigo. 5 Abs. 2 GG às limitações das leis gerais. Base jurídica civil para a execução do direito geral de personalidade por meio de reivindicação omissão aqui é § 1004 Abs. 1 Sentença 2 BGB em conexão com § análogo 823 BGB. A aplicação destas disposições constitucionais juridicamente correctos é para os tribunais civis competentes propósito. Mas eles devem ter em conta os direitos fundamentais interpretação em causa condutora e usar o seu significado e declaração do escopo, para que o conteúdo de definição de valor dos direitos fundamentais também é mantida no nível de aplicação legal (vgl. BVerfGE 114, 339 <348> m.w.N.; stRspr).

19

Determinante para a interpretação de um enunciado para determinar seu sentido objetivo, a partir da perspectiva de uma audiência imparcial e inteligente. É sempre assumida pelo texto da declaração. Isso coloca a sua mente, mas não conclusiva. Pelo contrário, é também a partir do contexto linguístico, a declaração polêmica e arquibancadas pelas circunstâncias reconhecíveis, sob o qual ele cai, certamente. O ponto de vista isolado de uma declaração polêmica não faz parte dos requisitos de um sentido viável de determinação encontram-se regularmente (Tribunal Constitucional, Resolução do 1. Câmara do Primeiro Senado de 12. Mais 2009 – 1 BvR 2272/04 -, NJW 2009, S. 3016 m.w.N.).

20

Os tribunais têm que entender os diferentes interesses envolvidos e da extensão da sua deficiência. As posições opostas devem ser levadas em relação às circunstâncias específicas do caso concreto, em uma relação, levando-os cada conta apropriada (vgl. BVerfGE 120, 180 <209> m.w.N.).

21

b) Medido contra essas normas, o Tribunal de Recurso tem as três declarações controversas beanstandungsfrei inicialmente classificados como declarações de opinião e não declarações de fatos ou críticas como abusiva.

22

aa) No que diz respeito às observações iluminadas. b e c, o saldo posterior entre o direito geral do queixoso ea liberdade dos acusados ​​no âmbito de Avaliação tribunais inferiores e da reclamação constitucional não detém aceito para decisão. É mais uma fundamentação a este respeito à parte (§ 93d Abs. 1 Sentença 3 BVerfGG).

23

bb) Censurável é a quantidade de consideração sobre a declaração feita iluminado. um, porque o Tribunal de Recurso do direito geral do reclamante atribui um peso fraco.

24

Se o queixoso pelo réu, a omissão da declaração "Dr.. P. é uma mulher louca "aplicada, então ela se volta contra esta declaração como um resumo do parágrafo anterior, que os estados: "Você é a mulher frustrierteste, Eu sei. Seus hormônios são tão confuso, que você não sabe mais, o que é o. Amor, Saudade, Orgasmo, Feminismo, Razão. "Pela palavra" louco "este número é resumida. A palavra "louco" aqui, portanto, tem um significado fundamentalmente diferente do que no caso decidido pelo Tribunal Constitucional Federal caso "promotor enlouquecido" (Tribunal Constitucional, Resolução do 1. Câmara do Primeiro Senado de 12. Mais 2009 – 1 BvR 2272/04 -, NJW 2009, S. 3016). A simples transferência do julgamento constitucional desse caso para o presente caso por meio da referência formal aos mortos em ambos os casos, a designação de uma pessoa como "louco" é diferente por isso, desde o início.

25

O Tribunal Regional Superior com vista para a honra pessoal do que em espécie. 5 Abs. 2 Barreira GG mencionado expressamente, em matéria civil, através do § § 823 ff. BGB gesetzlich normiert ist (vgl. BVerfGE 33, 1 <17>). O réu se move com o seu texto, o debate público sobre a pessoa do reclamante no parágrafo incriminado a reivindicações puramente especulativas sobre o núcleo de sua personalidade como uma pessoa privada. É com base nestas avaliações, tematicamente relacionada com a área íntima íntimo, sem essas especulações têm qualquer núcleo factual. Embora eles estão ligados ao comportamento do queixoso, esquerda posou para uma empresa de revista e fabricar uma série de fotos de si mesma, portanto, o queixoso deve aqui ser um argumento também como a. As conclusões tiradas pelo réu daí inferências, resume-los com as palavras "mulher louca", No entanto, como tal, não tem nenhum ponto de referência na conduta do queixoso. O réu procura aqui em vez de deliberadamente, para desacreditar o queixoso não só como uma figura pública e por causa de seu comportamento, mas seu provocante e deliberadamente prejudicial apenas negar qualquer pretensão de respeitar até mesmo como uma pessoa privada.

26

Dada a liberdade de expressão não pode impor. Deve ser, que este caso envolveu um como um texto escrito a violação deliberada e destinados, não é a expressão de uma expressão espontânea no contexto de um confronto emocional, como era no caso decidido pelo Tribunal Constitucional Federal caso "promotor enlouquecido" do caso (Tribunal Constitucional, Resolução do 1. Câmara do Primeiro Senado de 12. Mais 2009 – 1 BvR 2272/04 -, NJW 2009, S. 3016), onde não há também uma condenação penal e – aqui – fui a uma cautelar civis. Além disso, há ainda o réu está em liberdade, se – também apontou e polêmico – para comentar sobre a conduta do queixoso. A cruz no desprezo do queixoso genital área pela descrição como "mulher frustrierteste", que já não sabe "o que é o que. Amor, Saudade, Orgasmo, Feminismo, Razão "e sua designação como neste sentido," louco "não é contrastam mais com a proteção do direito de personalidade geral do compatível reclamando.

27

O Tribunal de Recurso, até agora não reconheceu a extensão da redução do direito de personalidade geral da queixa e não suficientemente levados a um relacionamento com as posições opostas em relação às circunstâncias específicas do caso concreto, carregando o direito geral da devida conta queixoso.

28

3. A decisão baseia-se no erro constitucional identificado e é na medida. Não é de excluir, que o Tribunal de Recurso virá novamente sido referida uma outra decisão no caso.

29

4. A decisão sobre o reembolso das despesas necessárias incorridas pelo recorrente se baseia na § 34a Abs. 2, 3 BVerfGG.

30

5. A fixação do valor do objeto do trabalho legal para o procedimento de reclamação constitucional decorre do § 37 Abs. 2 Sentença 2 em conjunção com o § 14 Abs. 1 RVG. O Tribunal Constitucional Federal é baseada, entre outros, sobre o valor do litígio no processo principal definido.

Adro Cada Baer

Bitte bewerten

Para mais informações: